28º Prêmio Shell de Teatro

Rio de Janeiro

  • Autor – Pedro Kosovski por “Caranguejo Overdrive”
  • Direção – Marco André Nunes por “Caranguejo overdrive”
  • Ator – Danilo Grangheia por “Krum”
  • Atriz – Carolina Virguez por “Caranguejo overdrive”
  • Cenário – Fernando Marés por “Krum”
  • Figurino – Ana Teixeira e Stephane Brodt por “Salina (a última vértebra)”
  • Iluminação – Paulo César Medeiros por “A Santa Joana dos matadouros”
  • Música – Nei Lopes por “Bilac vê estrelas”
  • Categoria Inovação – Companhia Amok Teatro pelo processo da seleção e treinamento do elenco para os espetáculo “Salina (a última vértebra)”.
  • Homenagem – Fernanda Montenegro, por uma vida inteira dedicada ao teatro.

São Paulo

  • Autor - Vinicius Calderoni por "Ãrrã"
  • Direção - Rafael Gomes por "Um bonde chamado desejo"
  • Ator - Tarcísio Meira por "O camareiro"
  • Atriz - Maria Luisa Mendonça por "Um bonde chamado desejo"
  • Cenário - André Cortez por "Um bonde chamado desejo"
  • Figurino - Beth Filipecki e Renaldo Machado por "O camareiro"
  • Iluminação - Wagner Pinto por "A máquina Tchechov"
  • Música - Babaya e Marco França por "A tempestade"
  • Categoria Inovação - Núcleo de Dramaturgia SESI - British Council
  • Homenagem - Antunes Filho pela construção de um teatro transformador e por seu papel na formação de profissionais do teatro

O Juri do Rio de Janeiro era formado por:

  • Ana Achcar (atriz, professora e pesquisadora teatral)
  • Bia Junqueira (cenógrafa, curadora e diretora de arte)
  • João Madeira (diretor do grupo AfroReggae)
  • Macksen Luiz (crítico teatral)
  • Moacir Chaves (diretor de teatro)

O Juri de São Paulo era formado por:

  • Carlos Eduardo Colabone (cenógrafo)
  • Evaristo Martins de Azevedo (crítico de arte)
  • Lucia Camargo (jornalista e curadora)
  • Luiz Amorim (ator, diretor e gestor em produção cultural)
  • Renata Melo (diretora de teatro e dança e coreógrafa)

27º Prêmio Shell de Teatro

Rio de Janeiro

  • Autor - Renata Mizrahi por “Galápagos”
  • Direção - Christiane Jatahy por “E se elas fossem para Moscou?”
  • Ator - André Curti e Artur Ribeiro por “Irmãos de sangue”
  • Atriz - Stella Rabello por “E se elas fossem para Moscou
  • Cenário - André Curti e Artur Ribeiro por “Irmãos de sangue”
  • Figurino - Claudia Kopke por “Chacrinha, o musical”
  • Iluminação - Maneco Quinderé por “A dama do mar”
  • Música - Nando Duarte por “Samba Futebol Clube”
  • Categoria Inovação: Elenco de “Samba Futebol Clube”, que tornou possível a renovação da estrutura do musical através de sua capacidade de atuar com excelência nas diversas funções do gênero.
  • Homenagem: Jorginho de Carvalho, pela contribuição na formação e profissionalização de gerações de iluminadores do teatro carioca.

São Paulo

  • Autor - Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez por “Pessoas perfeitas”
  • Direção - Silvana Garcia por “Não vejo Moscou da janela do meu quarto”
  • Ator - Rubens Caribé por “Assim é (se lhe parece)”
  • Atriz - Denise Del Vecchio “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”
  • Cenário - Marco Lima por “Caros Ouvintes”
  • Figurino - Glória Coelho por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”
  • Iluminação - Beto Bruel por “Não vejo Moscou da janela do meu quarto”
  • Música - Ricardo Severo por “Caros Ouvintes”
  • Categoria Inovação - Cia Pessoal do Faraoeste pelo trabalho de ocupação e intervenção social e artística que contribui para transformação e revitalização urbanas da região da Luz.
  • Homenagem: César Vieira pela trajetória artística junto ao Teatro  União e Olho Vivo e atuação política na defesa da classe teatral.

O júri do Rio de Janeiro era formado por:

  • Ana Achcar (atriz, professora e pesquisadora teatral)
  • Bia Junqueira (cenógrafa, curadora e diretora de arte)
  • João Madeira (diretor do grupo AfroReggae)
  • Macksen Luiz (crítico teatral)
  • Moacir Chaves (diretor de teatro)

O júri de São Paulo era formado por:

  • Carlos Eduardo Colabone (cenógrafo)
  • Evaristo Martins de Azevedo (crítico de arte)
  • Lucia Camargo (jornalista e curadora)
  • Mario Bolognesi (professor e pesquisador de teatro)
  • Renata Melo (diretora em teatro e dança e coreógrafa)

26º Prêmio Shell de Teatro

Rio de Janeiro

  • Autor - Julia Spadaccini por “A porta da frente”
  • Direção - Aderbal Freire-Filho por “Incêndios”
  • Ator  - Enrique Diaz por  “Cine Monstro”
  • Atriz - Laila Garin por  “Elis, a musical”
  • Cenário - Aurora dos Campos por “Conselho de Classe”
  • Figurino - Thanara Schönardie por “A importância de ser perfeito”
  • Iluminação - Tomás Ribas por “Moi Lui”
  • Música - Gabriel Moura por “Cabaré Dulcina”
  • Categoria Inovação : Marcus Vinícius Faustini pelo conceito e proposta do “Festival Home Theatre”
  • Homenagem: Marie Louise Nery pela sua colaboração como aderecista, figurinista, cenógrafa e formadora de profissionais do teatro brasileiro por cinco décadas.

São Paulo

  • Autor - Kiko Marques por “Cais ou da indiferença das embarcações”
  • Direção - Antunes Filho por “Nossa cidade”
  • Ator - Chico Carvalho por “Ricardo III”
  • Atriz - Fernanda Azevedo por “Morro como um país – cenas sobre a violência de estado”
  • Cenário - Rogério Tarifa por “ Cantata para um bastidor de utopias”
  • FigurinoMiko Hashimoto por “Operação trem-bala”
  • Iluminação - Fran Barros por “Vestido de Noiva”
  • Música - Jonathan Silva e William Guedes por “Cantata para um bastidor de utopias”
  • Categoria Inovação: Os Satyros pela projeção, permanência e abrangência do evento “Satyrianas” na condição de fenômeno histórico-artístico e social.
  • Homenagem: Eva Wilma pelos 60 anos dedicados ao teatro de “Uma mulher e três palhaços” a “Azul resplendor: o brilho de uma estrela”.

O júri do Rio de Janeiro era formado por:

  • Ana Achcar (atriz, professora e pesquisadora teatral)
  • Bia Junqueira (cenógrafa)
  • João Madeira (diretor do grupo AfroReggae)
  • Macksen Luiz (crítico teatral)
  • Sérgio Fonta (dramaturgo, diretor e ator)

O júri de São Paulo era formado por:

  • Alexandre Mate (professor e pesquisador teatral)
  • Carlos Eduardo Colabone (cenógrafo)
  • Marici Salomão (autora teatral e jornalista)
  • Mario Bolognesi (professor e pesquisador de teatro)
  • Renata Melo (Diretora em teatro e dança e coreógrafa

25º Prêmio Shell de Teatro

Rio de Janeiro

  • Autor - Maurício Arruda Mendonça e Paulo Moraes por “A marca da água”
  • Direção - Marcio Abreu por “Esta criança”
  • Ator - Gustavo Gasparani por “As mimosas da Praça Tiradentes"
  • Atriz - Renata Sorrah por “Esta criança”
  • Cenário - Fernando Marés por “Esta criança”
  • Figurino - Teca Fichinski por “Valsa nº6”
  • Iluminação - Nadja Naira por “Esta criança”
  • Música - Alexandre Elias por “Gonzagão – a lenda”
  • Categoria especial - Grupo Alfândega 88 pela ocupação do teatro Serrador
  • Homenagem - A Homenagem especial da noite é dedicada à Walmor Chagas, por seu papel histórico como ator e produtor em 64 anos de atividade no teatro brasileiro.

São Paulo

  • Autor - Alexandre Dal Farra por “Mateus, 10”
  • Direção - Maria Thaís por “Recusa”
  • Ator - Guilherme Sant’Anna por “L’illustre Molière”
  • Atriz - Lavínia Pannunzio por “Um verão familiar”
  • Cenário - Márcio Medina por “Recusa”
  • Figurino - Zé Henrique de Paula por “L’illustre Molière”
  • Iluminação - Guilherme Bonfanti por “Bom Retiro 958 metros”
  • Música - Fernanda Maia por “L’illustre Molière”
  • Categoria especial - Lume Teatro pelos 25 anos de trabalho permanente de pesquisa.
  • Homenagem - À camareira Ieda Ferreira como coriféia de uma imensa categoria de sujeitos que não aparecem em cena, mas cujo trabalho é fundamental.

O júri do Rio de Janeiro era formado por:

  • Ana Achcar (atriz, professora e pesquisadora teatral)
  • Bia Junqueira (cenógrafa)
  • João Madeira (diretor do grupo AfroReggae)
  • Macksen Luiz (crítico teatral)
  • Sérgio Fonta (dramaturgo, diretor e ator)

O júri de São Paulo era formado por:

  • Alexandre Mate (professor e pesquisador teatral)
  • Carlos Eduardo Colabone (cenógrafo)
  • Marici Salomão (autora teatral e jornalista)
  • Mario Bolognesi (professor e pesquisador de teatro)
  • Noemi Marinho (atriz, dramaturga e diretora) rados

24º Prêmio Shell de Teatro

Rio de Janeiro

  • Música - Marcelo Castro por “Um Violinista no Telhado”
  • Iluminação - Maneco Quinderé por “Palácio do Fim”
  • Figurino - 
    Gabriel Villela por “Crônica da Casa Assassinada”
  • Cenário - Fernando Mello da Costa por “Um Coração: Fraco”
  • Categoria especial - Teatro Tablado pelos 60 anos de atividade
    - Marcia Rubin pela direção de movimento dos espetáculos “Escola do Escândalo”, “O Filho Eterno”, “A Lua Vem da Ásia” e “Outside: um musical noir”
  • Direção - Christiane Jatahy por “Julia”
  • Autor - Felipe Rocha por “Ninguém Falou Que Seria Fácil”
  • Ator - Charles Fricks por “O Filho Eterno”
  • Atriz - Dani Barros por “Estamira - Beira do Mundo”
  • Homenagem - A Homenagem Especial da noite é dedicada à atriz e crítica Bárbara Heliodora pelo exercício da crítica teatral ao longo dos últimos 54 anos

São Paulo

  • Música - Gregory Slivar por “Prometheus – A tragédia do fogo”
  • Iluminação - Rodolfo García Vázquez e Leonardo Moreira Sá por “Cabaret Stravaganza”
  • Figurino - Joana Porto por “O idiota – uma novela teatral”
  • Cenário - Marisa Bentivegna por “O Jardim”
  • Categoria especial - Grupo Tapa pela defesa da política de repertório no projeto “O repertório de verão, Grupo Tapa e Cia”
  • Direção - Nelson Baskerville por “Luis Antonio – Gabriela”
  • Autor - Leonardo Moreira por “O Jardim”
  • Ator - Rodrigo Bolzan por “Oxigênio”
  • Atriz - Roberta Estrela D’Alva por “Orfeu mestiço – Uma hip-hópera brasileira”
  • Homenagem - Mariângela Alves de Lima pelos 40 anos de trabalho ininterrupto e inestimável dedicados à crítica e à pesquisa do teatro brasileiro.

O júri do Rio de Janeiro era formado por:

  • Fabiana Valor (atriz e bailarina)
  • Helena Varvaki (atriz e professora)
  • João Madeira (diretor do grupo AfroReggae)
  • Macksen Luiz (crítico teatral)
  • Sérgio Fonta (dramaturgo, diretor e ator)

O júri de São Paulo era formado por:

  • Alexandre Mate (professor e pesquisador teatral)
  • Marici Salomão (autora teatral e jornalista)
  • Mario Bolognesi (professor e pesquisador de teatro)
  • Noemi Marinho (atriz, dramaturga e diretora)
  • Valmir Santos (jornalista). Na próxima edição, Carlos Eduardo Colabore substituirá o jornalista no júri.

MAIS SOBRE O PRÊMIO SHELL DE TEATRO

Sobre a premiação

O Prêmio Shell de Teatro é uma das mais tradicionais premiações da cena teatral brasileira. Veja indicados, vencedores e jurados.

Categorias

Veja o regulamento completo do Prêmio Shell de Teatro, a mais tradicional premiação do teatro brasileiro.

Mais sobre Sustentabilidade

Nossa abordagem

Contribuir com o desenvolvimento sustentável significa ajudar a atender à crescente demanda global de energia de maneira econômica, social e ambientalmente responsável.