Sanny – O futuro é agora

SHELL SANNY MACEDO

Duração: 02:51

[Vídeo]

É dia. Há uma sala com janelas e cortinas. Há um violino marrom escuro e partituras. Mão é vista de perto sobre lençóis.

[Sanny]

O planeta precisa, né? De energia renovável.

[Texto]

Shell apresenta.

[Vídeo]

A face esquerda de uma pessoa é vista de perto. Abre o olho.

[Sanny]

Eu olho para o futuro.

[Texto]

Energia que vem da gente.

[Vídeo]

Uma mulher de cabelos castanhos claros põe a mão sobre um despertador que marca 6h. 

[Texto]

O futuro é agora.

[Sanny]

O que eu acho mais legal de trabalhar para olhar para o futuro é que a gente tem que entender que não tem certo ou errado, você está criando, aprendendo, se desenvolvendo.

[Vídeo]

Café é despejado, panela com ovos, torradeira com pães.

[Sanny]

Eu sou a Sanny, eu sou carioca. Sempre fui uma criança mais curiosa mesmo, então por isso que eu escolhi a engenharia.

[TEXTO]

Sanny Macedo. Gerente de desenvolvimento de Negócios em Gás e energia.

[Vídeo]

Sanny tem olhos claros e lábios grossos. Corre em um calçadão em frente ao mar.

[Sanny]

Energia para mim é algo que nos move, né? Que está em constante transformação e...

[Vídeo]

Vê-se um chuveiro de perto.

[Sanny]

A gente tem que ter muita energia para fazer tudo o que a gente faz.

[Vídeo]

Sanny se aproxima do violino que está sobre uma mesa.

[Sanny]

Sempre fui apaixonada pela música, o som do violino é muito puro.

[Vídeo]

Ela toca em algumas cordas do violino.

[Sanny]

Quando você está ali e acerta, é muita coisa que aconteceu junta para aquela nota sair, tudo tem que estar em sintonia e equilíbrio para conseguir ter aquele som.

[Vídeo]

Sanny caminha por uma rua, carrega um case de violino. Ela usa uma máscara preta sobre a boca e o nariz. Veem-se partituras. Em um cômodo com janelas há uma estante para partitura. Sanny se aproxima dela.

[Sanny]

O sucesso você não atinge só acertando, né? E isso que é legal. Tanto do lado profissional como pessoal eu sempre busco me desenvolver e aprender coisas novas.

[Vídeo]

Sanny toca violino. Os lábios dela são vistos de perto. O violino é visto de perto.

[Sanny]

É muito legal poder fazer isso no violino e na Shell ao mesmo tempo. Hoje na Shell eu olho para o futuro. O que que vai ser essa energia até o futuro? Vai ser uma transição energética. Só que eu acho importante a gente saber que é uma transição, né? Não vai ser algo de repente.

[Texto]

Usina Termoelétrica Marlim Azul – Macaé – RJ.

[Sanny]

A Marlim Azul é a primeira termelétrica a ser suprida com gás de pré-sal. O gás vai ter um papel fundamental que é realmente dar resiliência necessária para que as fontes renováveis façam parte dessa matriz.

Hoje eu não preciso me provar o tempo todo que eu sou capaz só porque eu sou mulher. A Shell tem esse cuidado, gerar oportunidade para pessoas diferentes e inclusão.

[Vídeo]

Mãos colocam partitura sobre a estante. Sanny toca.

[Sanny]

Cada vez que a gente da um passo em direção a esse futuro, né? Eu acho que é como se tivesse acertado uma nota no violino e tivesse saído aquela nota perfeita também.

[Texto]

A energia da Sanny vai mudar o futuro. Por isso a energia dela é tão importante no presente.

A Shell acredita na energia que vem da Sanny.

A Shell acredita na energia que vem da gente.

[Vídeo]

Logo da Shell, que é uma concha vermelha e amarela.

A beleza do processo

Na Shell Energy Brasil, o trabalho da Sanny é olhar para o futuro e pensar em soluções criativas para a transição energética. Ela é movida pela energia da transformação e desde criança sempre foi muito ligada à música. Sua paixão é o violino e, assim como em sua vida profissional, ela se encanta não só pela melodia final, mas por todo o processo até chegar lá.

Os desafios da Sanny não se resumem às partituras: ela tem uma grande responsabilidade de encontrar alternativas viáveis para o futuro da energia. Sua experiência com a música a faz confiar no caminho e comemorar cada passo dado na direção certa. Um deles, certamente é a Usina Termelétrica Marlim Azul. A primeira termelétrica a ser suprida pelo gás do pré-sal tem muito das mãos da Sanny, que colocou sua energia para que o empreendimento se tornasse realidade. O negócio será essencial para dar a resiliência necessária para que fontes renováveis, como solar e eólica, ganhem mais relevância na matriz energética do futuro.

Na imagem, a Sanny durante seu depoimento para a campanha
Sanny Macedo é gerente de Desenvolvimento de Negócios de Gás e Energia da Shell Energy Brasil.

Para você, o que significa ser protagonista de uma campanha de marca da Shell?

Para mim, honestamente, foi uma oportunidade única de mostrar para as pessoas que se conectam com a Shell como é o nosso trabalho, nossos valores e como a gente contribui para o desenvolvimento do Brasil e de uma nova matriz energética. Foi gratificante poder contar minha história, já que sempre falamos do lado profissional, mas raramente conseguimos compartilhar o lado pessoal. E esta campanha vem para exaltar o lado pessoal e a energia das pessoas que fazem parte da Shell.

De onde vem e para onde vai a sua energia?

A minha energia vem das minhas paixões – minha família, meus amigos e a música. A música renova a minha alma, é um momento muito especial, é quando eu me conecto comigo mesma. Minha energia vai, principalmente, para o meu trabalho. Como o nosso foco é em transição energética, temos muito espaço para a criação de diferentes modelos de negócios e muitas oportunidades de aprendizado. Então dá para ter uma ideia de como essa energia é consumida.

Como a sua energia se conecta com o negócio para o qual você trabalha na Shell?

O Brasil está abrindo seu mercado de gás, então é um momento único para o desenvolvimento do país como um todo. Por isso, tenho investido minha energia em pensar em soluções criativas para novos modelos de negócios e para a contribuição do gás em uma matriz energética mais limpa.

Representatividade deste vídeo para o negócio da Shell Brasil

Começa mais um dia, Sanny já pensa como será o amanhã. De olho no futuro, a engenheira busca constantemente soluções criativas para responder à crescente demanda por cada vez mais energia. Em um mundo em transformação, a transição energética é sua principal agenda corporativa. A cada nota em seu violino, ela reflete sobre o próximo passo para tornar a matriz energética brasileira mais limpa.

Um exemplo, Marlim Azul, primeira termelétrica a ser abastecida pelo gás natural oriundo do pré-sal brasileiro. Parceria entre Shell, Pátria Investimentos e Mitsubishi Hitachi, a criação do consórcio teve muito da energia e do empenho de Sanny, que agora se dedica a novos negócios. Com a flexibilização do mercado de gás no Brasil, ela vislumbra grandes oportunidades para o setor de energia. E essa será sua música pelos próximos anos.

Mas Quem vê onde ela chegou, nem sempre sabe como foi o caminho. Para ela, não foi fácil até aqui. Olhando para sua trajetória profissional, Sanny percebe uma grande lacuna no setor de energia no que diz respeito à representatividade feminina. Não raro, Sanny era a única mulher em muitas mesas de negociação.

Sanny diz que ainda existe muito espaço a ser preenchido, mas na Shell ela sente que não precisa provar o tempo todo do que é capaz, apenas por ser mulher. Isso porque a empresa considera uma parte essencial do negócio o respeito às questões que envolvem Diversidade & Inclusão.

A Gender Balance Network, criada em 2013, é uma rede de afinidade da companhia que busca garantir a inclusão de mulheres e formar uma cadeia de relacionamento e autodesenvolvimento feminino dentro da Shell Brasil. O debate e as ações ajudam no desenvolvimento da carreira e inspira as mulheres a se tornarem líderes do amanhã. Com esse apoio, Sanny conseguiu alçar voos altos, e espera que sua história possa contribuir para uma maior representatividade feminina nas empresas.

Roberto – Além do que se vê

O Roberto é professor e dedica sua energia a pensar formas de inclusão de seus alunos com deficiência no processo de aprendizado.

Conheça sua história