O executivo da Shell, Felipe Boechem, apresentou uma das ofertas da Shell na 2a e 3a rodadas de leilão do pré-sal realizadas no Rio de Janeiro. (Foto: ANP)

Rio de Janeiro – A Shell e seus parceiros ganharam nesta sexta-feira três contratos de 35 anos para desenvolver blocos do pré-sal localizados na Bacia de Santos, no Brasil. Após a assinatura dos contratos, prevista para o próximo mês, a Shell pagará R$332,5 milhões do total de bônus de assinatura. Os planos para os blocos ainda serão definidos pela Shell e seus parceiros. 

As ofertas vencedoras da Shell no leilão de hoje incluem um bloco adjacente do campo de Gato do Mato, que já pertencia à Shell (operadora com 80% e Total 20%), uma área agora unitizada no campo de Sapinhoá (Petrobras operadora com 45%, Shell 30%, Repsol 25%) e uma nova área de Cabo Frio – o bloco Oeste (Shell operadora com 55%, Qatar Petroleum Inc. 25% e CNOOC Limited 20%). 

"Estamos muito felizes por expandir nosso número de campos operados no Brasil” disse Andy Brown, diretor de Upstream da Shell. “Essas propostas vencedoras foram enviadas após uma avaliação minuciosa e adicionamos áreas estratégicas ao nosso primeiro conjunto de opções globais de crescimento de águas profundas. Vamos determinar nossos próximos passos com foco no valor para a Shell e seus acionistas. Nossa experiência em águas profundas é adequada para as oportunidades que estão por vir", finaliza.

Antes do resultado desta licitação, a Shell havia declarado planos para investimentos de US$10 bilhões até o início de 2020 para os empreendimentos offshore já existentes no Brasil para, assim, apoiar o desenvolvimento de ativos em águas profundas como prioridade de crescimento na área de upstream. A Shell começou a trabalhar no âmbito de um contrato de compartilhamento de produção no Brasil em 2013, quando entrou no consórcio de Libra, liderado pela Petrobras. A história da Shell no Brasil tem mais de 100 anos com empresas em upstream e downstream.

A Shell foi pioneira na exploração e produção de águas profundas há 40 anos no Golfo do México (EUA) e, juntamente com seus parceiros no Brasil, a empresa combinará essa experiência para expandir sua produção offshore. No último trimestre, a Shell produziu mais de 710 mil boe/d em seu negócio de águas profundas no mundo, com aproximadamente 330 mil de boe/d no Brasil. Outros projetos de águas profundas da Shell estão no Golfo do México, na costa da Nigéria e na Malásia.

Notas para os editores:

  • Distâncias para a costa:
    Entorno de Sapinhoá: 310km
    Sul de Gato do Mato: 240km
    Alto de Cabo Frio Oeste: 160km
  • Áreas dos blocos:
    Entorno de Sapinhoá: 213.987km2
    Sul de Gato do Mato: 128.832km2
    Alto de Cabo Frio Oeste: 1383.00km2
  • A Shell opera dois FPSOs no Brasil e é parceira em outros 10 FPSOs, operados pela Petrobras.

 

Para mais informações:

Assessoria de Imprensa Shell Brasil

Guilherme Sá
(21) 3984-82390
Guilherme.Sa@shell.com

Camila Lopes
(21) 3590-8409
camila.chaves@edelmansignifica.com

Mais informações sobre Imprensa

Contatos

Aqui você encontra os contatos da Assessoria de Imprensa da Shell Brasil.

Últimos press releases

Veja nossos últimos press releases, acesse nossa bilbioteca de imagens e vídeos e descubra como você pode entrar em contato com o time de Assessoria de Imprensa da Shell Brasil.