Seis letras que, juntas, significam uma imensidão de caminhos, histórias, lutas, concessões, aspirações, sonhos, desejos. Impossível descrever dentro de um substantivo feminino toda a potência e pluralidade do “ser mulher”.

Seguindo sua política de Diversidade & Inclusão, a Shell busca maior igualdade de gênero em todas as áreas dos negócios, estimulando o desenvolvimento profissional e a liderança feminina. Conhecer essas mulheres, suas dores e potencialidades, e dar a elas ferramentas para que possam alcançar os objetivos que almejam dentro da companhia é uma das missões da Gender Balance Network. O grupo as inspira a assumir o protagonismo na carreira.

Criada em 2013, esta rede de afinidade busca garantir a inclusão de mulheres e formar uma cadeia de relacionamento e autodesenvolvimento feminino dentro da organização. A ideia é capacitar as mulheres para que elas possam ajudar umas às outras a progredirem na carreira, assim como identificar e discutir pontos que facilitam e interferem nessa evolução profissional. Os homens também são convidados e estimulados a entrar no debate, como parte estratégica dessa mudança.

A Gender Balance Network oferece diversas oportunidades de troca de experiências entre seus participantes e apoiadores, em diferentes formatos. Em 2020, a Shell Brasil aderiu aos sete passos dos Princípios de Empoderamento das Mulheres, ação desenvolvida em parceria entre a ONU Mulheres e o Pacto Global das Nações Unidas. A partir daí, assumiu o compromisso de incentivar condições econômicas e sociais que ofereçam oportunidades igualitárias para mulheres e homens. A cartilha ajuda as empresas a adaptar suas políticas e práticas e criar as estruturas institucionais e culturais na organização para que a igualdade de gênero se torne um valor compartilhado por todos.

O grupo realizou uma autoavaliação para identificar as lacunas e oportunidades de melhoria e traçou um plano de ação com iniciativas e temas a serem abordados. Chegou a montar um simulador com dados históricos da Shell Brasil para analisar qual o esforço organizacional seria necessário para atingir os resultados desejados dentro da perspectiva de desenvolvimento de carreiras, definindo a agenda da igualdade de gênero com base nas reais necessidades da companhia. A partir daí, definiu metas específicas para aumentar a representatividade feminina em toda a empresa. Até 2025, a Shell Brasil espera ter 33% dos cargos de liderança sênior sendo ocupados por mulheres. E, até 2030, 50% de todas as posições preenchidas por elas – ou seja, a mesma quantidade de homens e mulheres em toda a companhia.

Para chegar lá, a rede desenvolve iniciativas que ajudem a alcançar esses KPIs. Entre as ações, destaca-se o Programa de Mentoria Feminina 1-1, feito em parceria com a consultoria de desenvolvimento de talentos Lee Hecht Harrison, com o objetivo de ajudar tanto mentoras quanto mentoradas a atingir suas aspirações de carreira. As mentoradas recebem orientações, encorajamento e suporte para elevar sua performance profissional, e as mentoras têm a oportunidade de desenvolver ferramentas importantes para seu crescimento. Ao todo, 30 mulheres participam da mentoria, todas funcionárias da Shell Brasil. Outra iniciativa são os círculos de mentoria com profissionais sêniores na organização, com grupos mistos – compostos por homens e mulheres – e grupos somente femininos.

A rede organiza uma série de iniciativas e debates voltados a diferentes assuntos, muitas vezes delicados, como assédio dentro e fora do ambiente de trabalho, abordando como a questão é tratada na Shell e divulgando os meios que oferecem suporte aos funcionários. Com regularidade, promove reflexões em torno de temas centrais como maternidade, carreira e saúde mental. Todos os eventos e debates organizados pela Gender Balance Network e também em parceria com as outras redes de afinidade da companhia continuaram seu fluxo durante a pandemia, de maneira virtual. Nesse período, foram trabalhados temas como parentalidade, educação inclusiva e o impacto das ações afirmativas no crescimento pessoal e profissional das mulheres negras.

Vitória

Como reconhecimento pelo envolvimento e compromisso com a temática da Diversidade & Inclusão em diferentes frentes, a Shell Brasil foi premiada, por dois anos consecutivos, no Guia Exame de Diversidade. Em 2019 e 2020, a companhia foi vencedora na categoria “Energia”, evidenciando suas atividades pela inclusão e desenvolvimento de mulheres, pessoas com deficiência, negros e comunidade LGBTQIA+ . A premiação é organizada pela revista Exame em parceria com o Instituto Ethos.

Responsabilidade Corporativa

A cartilha Princípios de Empoderamento das Mulheres é resultado de uma parceria entre a ONU Mulheres e o Pacto Global das Nações Unidas. A Shell Brasil aderiu à iniciativa em julho de 2020, com o compromisso de incentivar condições econômicas e sociais que ofereçam oportunidades igualitárias para mulheres e homens, moldando assim o comportamento de uma grande corporação para que sirva como reflexo para a sociedade que queremos ter no futuro.

Ao assinar o documento, a Shell assume publicamente o envolvimento com essa agenda e passa a fazer parte de uma rede local e global das Nações Unidas. A cartilha sugere sete princípios a serem seguidos pelas companhias apoiadoras, com o objetivo de empoderar as mulheres para que participem de todos os setores da economia e sejam integradas nos mais diversos níveis da companhia. Os tópicos ajudam as empresas a adaptar suas políticas e práticas e, assim, criar as estruturas institucionais e culturais na organização para que a igualdade de gênero se torne um valor compartilhado por todos.

Conheça os sete princípios de empoderamento das mulheres listados na cartilha:

  1. Estabelecer liderança corporativa de alto nível para a igualdade de gênero.
  2. Tratar todos os homens e mulheres de forma justa no trabalho – respeitar e apoiar os direitos humanos e a não discriminação.
  3. Garantir a saúde, a segurança e o bem-estar de todos os trabalhadores e as trabalhadoras.
  4. Promover a educação, a formação e o desenvolvimento profissional das mulheres.
  5. Implementar o desenvolvimento empresarial e as práticas da cadeia de suprimentos e de marketing que empoderem as mulheres.
  6. Promover a igualdade através e iniciativas e defesa comunitária.
  7. Mediar e publicar os progressos para alcançar a igualdade de gênero.

Mais Em Diversidade E Inclusão

Inclusão De Pessoas Com Deficiência

Presente em 14 países, rede de afinidade da Shell promove inclusão de funcionários com deficiência. Acessibilidade e desenvolvimento de carreira fazem parte da agenda da enABLE.

 

Rede Pela Equidade Racial

Criada em 2019, a B Power é a rede da Shell Brasil pela equidade racial. Com encontros semanais, ações de empatia e rodas de conversa, o grupo pretende aumentar a representatividade do negro na Shell e no meio empresarial.

Apoio à comunidade LGBTQIA+

A TRUEColors é a rede da Shell Brasil de apoio à comunidade LGBTQIA+. Através de debates e ações de empatia, busca proporcionar acolhimento a funcionários da companhia.