Com a previsão de, até 2050, cerca de dois terços dos veículos continuarem a usar as atuais tecnologias de motor e combustíveis convencionais, será fundamental implementar ações colaborativas para aumentar a eficiência dos combustíveis e reduzir as emissões de gás carbônico pelos próximos 40 anos. E é essa a mensagem que os executivos da Shell querem transmitir no Michelin Challenge Bibendum, o fórum global de sustentabilidade no transporte que, este ano, acontece em Berlim.

Enquanto a indústria está buscando se engajar de forma a implementar ações para atender ao desafio do transporte sustentável, Tan Chong Meng, vice-presidente executivo da Shell para Lubrificantes, disse que o progresso necessário para desenvolver ações eficientes só é possível por meio de parcerias de longo prazo, nas quais veículos, combustíveis e lubrificantes são desenvolvidos de forma conjunta entre as empresas.

“Acreditamos que umas das melhores e mais rápidas formas de incrementar a economia de combustível e, consequentemente, reduzir as emissões de CO2 resultantes de sua utilização seja trabalhar de forma alinhada com as fabricantes originais de equipamentos (OEMs). Precisamos de uma abordagem mais coesa entre o desenvolvimento de novas tecnologias e motores e também o desenvolvimento de uma nova geração de combustíveis e lubrificantes. Essa colaboração mais próxima trará inovação, melhor performance e muitos outros benefícios aos motoristas”, ressalta o vice-presidente.

Selda Gunsel, vice-presidente executiva da Shell para Tecnologia, acrescentou ainda que, em paralelo a essa parceria colaborativa, também é necessário um pensamento mais avançado. Tomando a área de lubrificantes como exemplo, ela explica que isso incluiria desenvolver formulações além das especificações atualmente exigidas pelo mercado, ajudando na elaboração de tecnologias para uso mais eficiente dos combustíveis.

“A demanda pela redução das emissões de CO2 nos dá um grande incentivo a olhar além da abordagem tradicional. A partir daí, a indústria terá a capacidade de desenvolver especificações apropriadas para os veículos com foco no aumento da economia de combustível,” diz Selda.

Os benefícios de uma abordagem mais integrada pode ser ilustrada pela parceria técnica da Shell com a Gordon Murray Design (GMD), uma empresa britânica de engenharia. O inovador modelo de carro de cidade T.25 da GMD, com baixa emissão de CO2, foi utilizado como plataforma de testes pelas equipes de pesquisa de ambas as empresas para desenvolver novas fórmulas de óleos lubrificantes. Superando as atuais exigências da indústria, a equipe desenvolveu um lubrificante que proporcionou uma economia de combustível de até 6,5%.

Como parte do objetivo da Shell de buscar aumentar a eficiência dos combustíveis e sua certeza da necessidade de uma abordagem mais integrada, Selda também anunciou planos de estender o teste dos óleos de baixíssima viscosidade por um período maior. Estes testes serão desenvolvidos junto às fabricantes ou consultorias de engenharia para, juntas, obterem mais informações em relação ao potencial desgaste do motor ou degradação do óleo e como o design do motor e a formulação dos lubrificantes podem ser elaborados em conjunto para ajudar na criação de soluções.

“Está claro que nenhuma empresa ou uma parte da indústria alcançará sucesso se trabalhar sozinha. Nossa indústria tem um excelente histórico de inovação e estabelecimento de parcerias, e, se pudermos trabalhar ainda mais próximos no futuro, tenho certeza de que conseguiremos oferecer a nossos consumidores motores, combustíveis e lubrificantes mais eficientes e limpos nas próximas décadas”, concluiu Chong Meng.

Shell: Fornecedora do ano no quesito Sustentabilidade

A área de Lubrificantes da Shell foi reconhecida como a Fornecedora do Ano no quesito Sustentabilidade pela Walmart no Encontro Anual de Fornecedores promovido pela rede americana. O prêmio se deu pelo desenvolvimento e utilização do sistema de embalagens Ecobox®, que oferece benefícios ambientais ao promover a redução do uso de embalagens plásticas e também o desperdício de óleo.

“Estamos orgulhosos de receber de nosso maior cliente esse reconhecimento pela criação do sistema Ecobox,” disse Jim McCormick, vice-presidente sênior da área de Varejo de Lubrificantes para a Shell na América do Norte. “É gratificante ter levado para o mercado esse sistema, comprovando que produtos que oferecem benefícios ambientais também odem ser bons para o negócio.”

Através do seu design, o novo recipiente pode ajudar os proprietários e operadores de instalações de troca de óleo a armazenar, gerenciar e entregar óleo para os veículos de seus clientes com maior eficiência. A bolsa contendo o óleo na caixa de papelão Ecobox® foi desenvolvida para ajudar a melhorar a velocidade e facilidade no uso quando comparado às garrafas, pois é drenado com maior rapidez, fazendo com que uma quantidade mínima de óleo residual seja deixada na garrafa e exigindo menos manuseio do que de garrafas de um litro.

O uso de plástico somente no forro da Ecobox® reduz em 89% seus resíduos em aterros — o equivalente a 24 garrafas plásticas de um litro. Além disso, Ecobox® pode ser totalmente reciclável. O sistema de bombeamento da nova embalagem ajuda a melhorar diversas tarefas operacionais associadas à troca de óleo por meio de garrafas de litro individuais.

press releases 2016

Contatos

Aqui você encontra os contatos da Assessoria de Imprensa da Shell Brasil.

Últimos press releases

Veja nossos últimos press releases, acesse nossa bilbioteca de imagens e vídeos e descubra como você pode entrar em contato com o time de Assessoria de Imprensa da Shell Brasil.

Você também pode gostar

Centro de investidores

Mantenha-se atualizado com o preço de nossas ações, resultados trimestrais e próximos eventos (abre no Shell.com em inglês).

Relatórios anuais e publicações

Publicamos o Relatório de Sustentabilidade da Shell desde 1998. Nosso objetivo é manter nossos valores de transparência e honestidade, além mostrar como contribuimos para o desenvolvimento sustentável.

Siga-nos

Mantenha-se atualizado com os projetos da Shell via RSS, alertas por e-mail, Twitter ou através de nosso aplicativo (abre no Shell.com em inglês).