O desafio global da poluição do ar

A poluição do ar é um desafio contínuo e significativo enfrentado por cidades em todo o mundo, especialmente em regiões passando por rápido crescimento urbano.

Nas agitadas ruas da capital holandesa Amsterdã, a fumaça exaustiva de caminhões movidos a diesel contribuiu para a poluição do ar e escurecimento das fachadas históricas da cidade. Em Pequim, capital da China, a utilização de estações a carvão, além de outros fatores, criaram um nível perigoso de partículas que é 20 vezes maior que o limite permitido pela Organização Mundial da Saúde.

Reduzir a dependência do carvão como fonte de eletricidade e diesel para transporte nas cidades é um fator crítico para limpar o ar dos cidadãos no mundo todo.

Limpando os céus com gás natural

O gás natural é uma alternativa muito mais limpa aos combustíveis tradicionais, tornando-o a solução ideal para lidar com a poluição do ar em cidades. Então, desde 2016, a Cidade de Pequim está substituindo suas últimas estações a carvão por quatro centrais alimentadas a gás natural. 

Lançamento da planta de gás natural da Shell na Holanda
Primeira Estação Expressa de GNL da Shell em Waalhaven Rotterdam, Países Baixos

Combustível de transporte mais limpo

O Gás Natural Liquefeito (GNL) está emergindo como um combustível de custo competitivo e de queima mais limpa para transporte rodoviário pesado e aplicações similares em seu uso em transporte e indústrias. O combustível de GNL tem o potencial de fornecer benefícios econômicos e ambientais para caminhões de transporte pesado e armadores. Ele tem um custo competitivo e pode reduzir as emissões de enxofre, particulados e óxidos de nitrogênio. A Shell está investindo tanto nos setores de transporte marítimo quanto de transporte rodoviário pesado para fornecer aos seus clientes esse combustível de queima mais limpa e de custo competitivo.

A Shell está trabalhando em colaboração com a franquia de supermercados holandesa Albert Heijn para aumentar o uso de GNL em caminhões de transporte pesado operando em áreas residenciais.

Mais sobre Histórias de inovação de cidades